domingo, fevereiro 05, 2006

A Catedral de Viseu (1/9)


Separata da revista "Beira Alta", 1945

por Alexandre Lucena e Vale

ÍNDICE DOS PRINCIPAIS PARÁGRAFOS

Origens da Sé

A Sé Românica:
- Sua traça
- Invocações históricas
- S. Teotónio, o baptismo d. D. Duarte, o assalto dos castelhanos e os Infantes de Avis

A Sé e6tlca:
- O novo estilo ogival
- A Sé e os quadros de Grão Vasco, a Sé e os grandes bispos quinhentistas: D. Diogo Ortiz, D. Miguel da Silva, D. Gonçalo Pinheiro, D. Jorge de Ataíde, D. Nuno de Noronha
- A dominação espanhola e a derrocada de 1635

A Sé renascentlsta:
- Suas caracteristicas
- Invocações históncas dos últimos três séculos
- A Alma da Catedral

Indlce das notas:
- Referênc:ia ao antigo castelo
- Referência ao antigo claustro
- Not!cia histórica do Paço dos Bispo e Seminário do Adro
- Tábua Cronológica

APÊNDICE

A Capela do Calvárlo:
- D. J oão Vicente
- A Capela do Calvário
- A verdadeira localização das Tábuas de Grão Vasco

Notas flnais

Tondela: o primeiro agente da PSP

1 - A CIDADE EM NOTÍCIA


in "Folha de Tondela" - 23.04.1993

A POLíCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA VAI EMBORA
por António Amorim Lopes

Ao fim de mais de 50 anos de serviço na nossa terra, a P.S.P. vai embora.

Éramos muito novos quando o primeiro agente da Polícia de Segurança Pública veio para Tondela e já lá vão aproximadamente 52 anos. Habituados a ver a então vila de Tondela policiada pela G.N.R., nós e outros rapazitos da época, admirávamo-nos de ver um polícia percorrendo as nossas ruas, interpelando-nos quando jogávamos futebol ou praticávamos outras brincadeiras no meio da estradas, onde, de vez em quando, passava uma viatura.

Se a memória não nos atraiçoa, aquele primeiro agente vindo para Tondela chamava-se Figueiredo e embora fizesse cumprir a lei era uma pessoa muito educada, tendo grangeado a amizade e o respeito dos tondelenses com muita facilidade.

Era então Presidente da Câmara Municipal o sr. Dr. Manuel Correia de Carvalho e o agente da P.S.P. ficou "aboletado" na Administração do Concelho (Câmara Municipal).

Depressa se viu a necessidade do quadro da P.S.P. ser aumentado e vieram para Tondela mais agentes. Houve necessidade de arranjar instalações próprias e uma casa foi alugada para o efeito, na Av. Marechal Carmona, presentemente General Humberto Delgado, e durante muitos anos ali esteve sediado o Posto da P.S.P.. Mais tarde, com mais agentes no seu efectivo a Polícia mudou para as instalações da Misericórdia, onde tinha funcionado a Cantina Escolar e Sopa dos Pobres. Embora melhor instalados, quer em espaço, quer em condições, a evolução, o progresso de Tondela exigiram uma sede feita de raíz, para o cabal cumprimento dos cívicos. E passado quase meio século do primeiro agente da P.S.P. ter vindo para Tondela, "nasceu" uma Esquadra modelo, bem situada, já prevendo o futuro, com instalaçôcs preparadas para aboletar também quadros femininos daquela Polícia.

Como estávamos sempre a ouvir dizer que os quadros da P.S.P. em Tondela eram diminutos para as necessidades, em virtude das instalações comportarem mais agentes, ficámos convencidos que tudo iria mudar, pois a moderna Esquadra resolvia o problema. Mais convencidos ficámos ao tomar conhecimento do discurso do sr. Ministro aquando da inauguração das magníficas instalações, num passado muito recente. Aquele membro do Governo prometeu que os efectivos seriam aumentados, que Tondela necessitava disso devido ao surto de progresso que estava a atravessar, e todos ficámos convencidos que os quadros da P.S.P. preconizados para Tondela, já que a área da cidade tinha sido muito alargada em relação à que tinham que policiar até aqui, vinham mesmo ocupar a referida Esquadra.

Qual o nosso espanto ao tomar-mos conhecimento que em Julho próximo já não teremos a P.S.P. em Tondela, e que será mesmo a primeira no Distrito a "arrancar".

Por mais que nos esforcemos não conseguimos compreender os nossos governantes. Enquanto a P.S.P. esteve mal instalada, fazendo os maiores esforços para cumprir a sua missão, aguentou-se em Tondela, embora o trabalho fosse cada vez mais, uma vez que a cidade teve nestes últimos anos um aumento muito significativo em todos os sectores. Agora que tem instalações, que custaram ao erário público muitos milhares de contos, preparadas para o futuro, a P.S.P. vai embora.

Garantem-nos que esta medida é irreversível, mas também sabemos que em Penafiel a P.S.P. já devia ter saído há um ano e ainda se lá encontra.

É altura das autarquias, principalmente a Câmara Municipal, fazerem um exame profundo a esta situação e analisarem se a P.S.P. "é ou não necessária em Tondela". Por nós achamos que sim.

Então na época em que passava uma viatura nas nossas estradas de hora a hora, que as portas das residências ficavam abertas e com as chaves nas fechaduras, era necessária e volvidos mais de 50 anos, com toda a evolução boa e má, já não é precisa?

Confessamos que não entendemos, mas se não houver uma posição firme dos responsáveis, em que o Povo confiou abertamente ao colocá-los à frente dos destinos do Concelho, vai acontecer-nos o mesmo que se passou com a Maternidade do Hospital Distrital de Tondela, que, quer queiram quer não, faz muita falta.

Há quem afirme que se tivesse havido vontade forte, a Maternidade ainda existia em Tondela.

2 - ADENDA

Image and video hosting by TinyPic
António Figueiredo (1911-1975)

A memória não atraiçoou o autor do texto: o Figueiredo foi realmente o primeiro polícia de Tondela. De seu nome completo António Figueiredo e nascido em 21.05.1911 em Pindelo de Silgueiros. Morreu em 30.11.1975, vítima de atropelamento.

Foi casado com Fernanda Duarte Figueiredo. Tiveram três filhos: José Manuel, Maria Eugénia e Luís António. Os quatro estão vivos.
Site Meter